Morrendo ou sofrendo por não saber

 Enquanto ignoram e negligenciam a fitoterapia, milhões de pessoas ainda hoje continuam morrendo ou sendo mutiladas por intervenções e procedimentos ineficazes.

Muitas centenas de pés e pernas são amputados (pés diabéticos). Asmáticos ainda morrem. Gastrite e Helicobacter pylori procurei uma professora de Gastroenterologia para propor uma solução, mas ela sequer deu atenção.

A próstata aumentou? Extirpe-a. Por conta do aumento benigno da próstata, centenas e centenas homens  todo anos tem sua próstata retirada devido a não ter respondido aos tratamentos.

A vesícula está com cálculos? Extirpe-a.

A perna está com trombose? Ampute-a.

E assim vai. Muito científico isso, não?

https://youtu.be/-wZFBT29VRQ

 

Há uma grande carência de pesquisa na área de plantas medicinais no Brasil.

Para um país com muitas plantas com potencial terapêutico merecia que se investisse mais e pesquisasse muito mais. Grande parte das pesquisas realizadas estão sendo feitas, mas de forma dispersa e isoladamente por pesquisadores que por falta de recurso financeiro não as - concluem.

      À medida que a Fitoterapia evolui vem cada vez mais pressões comerciais e ideológicas, torna-se urgente a necessidade de estudos de Bioequivalência e análises por meio de uma perspectiva de interesse público independente. O teste de bioequivalência é importante e necessário e creio que é a única forma de termos autonomia e realizar esses testes é criar os meios para isso.

 

Existem tratamentos eficazes por meio de muitas fórmulas que ainda não foram estudadas, que têm auxiliado na melhora e até cura das doenças. Pessoas até dizem: se os médicos que estudaram tanto ainda não conseguiram a cura, imagina que alguém que nem sentou no banco de uma faculdade vai conseguir.

 

      Lembrando que procurei universidades para fazer teste de bioequivalência e logo vi que as autoridades científicas relutam em aceitar os avanços obtidos nas pesquisas realizadas externamente ao seu controle. Entusiasmadas pelo saber científico, também não acreditam que alguém fora da academia possa desenvolver tratamentos que curam e não admitem que alguém, por meios próprios, resolve o que o tão valorizado conhecimento científico não consegue resolver. As classificações acabam por ignorar ou excluir importantes resultados obtidos em experimentos populares.

 

       As autoridades científicas relutam em aceitar os avanços obtidos nas pesquisas realizadas externamente ao seu controle. Entusiasmadas pelo saber científico, as pessoas também não acreditam que alguém fora da academia possa desenvolver tratamentos que curam e não admitem que alguém, por meios próprios, resolve o que o tão valorizado conhecimento científico não consegue resolver.

 

 

         Para acabar também com tanta celeuma, e alavancar estudos que estão engavetados sugeri que se instituísse uma Lei que favoreça a iniciativa privada nos mesmos moldes da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei nº 8.313 de 23 de dezembro (de 1991), conhecida por Lei Rouanet que oferece incentivos fiscais). A Lei possibilitaria as empresas (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoa física) aplicarem uma parte do IR (imposto de renda) devido em ações de pesquisa cientifica de plantas medicinais.

     A lei servira para estimular as empresas e cidadãos a investir em estudos de plantas medicinais, e testes de bioequivalências ( é a avaliação das alegações feita de um remédio ou produto) e a iniciativa privada se sentiria estimulada a patrocinar pesquisas cientificas.

Criar uma lei ou fazer um adendo na lei Rouanet.

         Assim venceremos a resistência dos governantes que, fundamentados em leis burocráticas e protecionistas, não investem nessas pesquisas, o descaso dos órgãos competentes, que “fecham os olhos” a uma série de evidências que deveriam conduzir a sua atuação para um recurso terapêutico mais eficiente e seguro.

 

Por varias legislaturas, levei esta proposta para deputados e senadores, mas não deram atenção.

Vamos novamente apresentar para ver se desta vez a proposta seja pelo discutida.

 

Este ja tinha proposta para ser amputado, mas gracas a fitoterapia foi curado.

 

Estas pernas iam ser amputadas.

Dona Lucia teria que amputar as duas pernas.

 

Milhoes de pessoas podem deixar o uso da bombinha.

 

Milhares de homens vão usar sonda ou terão sua prostata extirpada todo ano no Brasil.

 

Milhares de pessoas estão sob tratamentos paliativos para enxaqueca no Brasil.

 

Muitas centenas de pernas, dedos e pés são amputados todos os anos no Brasil.

 

Contato