Gargarejo e bochecho de plantas

        A biologia nos mostra que existem outras medidas que podem contribuir para ajudar a reduzir o risco de contágio de vírus, além das medidas de higienizar as mãos e manter distância. Prestar atenção aos cuidados com a garganta e tudo o que apoia a limpeza do trato respiratório faz a diferença. Portanto, é cada vez mais importante garantir que o mínimo possível de partículas virais atinja nossos pulmões e cause inflamação.

O Gargarejo  e enxágue bucal (bochecho) com chás de ação antisséptica são cuidados de higiene.  Por meio do enxágue bucal (bochecho) e do gargarejo com chás de ervas de ação antisséptica existe a possibilidade de reduzir o vírus que pode ter entrado pelo nariz ou pela boca.

    Um antisséptico é capaz de bloquear o vírus na cavidade oral (região da boca), impedindo-o que avance para o restante do organismo? Enxágue bucal (bochecho) e gargarejo antisséptico não é uma cura de vírus ou bactéria, mas mostrou em estudos que contribui para a prevenção contra as infecções causadas por vírus ou bactérias. Inativar a transmissão de um agente patogênico (vírus ou bactéria) nas vias aéreas superiores do corpo humano é uma das formas mais eficazes dos patógenos não avançar para as vias respiratórias inferiores (pulmão).

       Gargarejar com chás pode aliviar os sintomas e até ajudar a prevenir.  Papiros egípcios de 1600 aC citaram receitas para uma variedade de tratamentos usando ervas medicinais, particularmente em condições infecciosas. Os gregos antigos usavam para fins semelhantes e já sabiam - mais de 2.000 anos atrás - que tinham efeitos antissépticos para dificultar a reprodução das bactérias e vírus.

   A biologia nos mostra como podemos reforçar essas salvaguardas endógenas em nosso benefício. Os remédios caseiros comuns que normalmente usamos para combater os primeiros sintomas de uma infecção por gripe, como gargarejar e beber chá de Gengibre quente, também são totalmente justificados.

Fazer gargarejo  e enxágue bucal (bochecho)

    Gargarejar  é comumente realizado no Japão, e as pessoas fazem essa rotina higiênica, especialmente, com chás para prevenir infecções do trato respiratório superior. Atenção: Sua eficácia, no entanto, não foi avaliada por ensaios clínicos para o Covid 19.

Há Fitossubstâncias e ervas medicinais que mostraram atividade contra vários patógenos.

 O trabalho realizado pelos pesquisadores Kazuki Ide, Hiroshi Yamada, Yohei Kawasaki  mostrou que  intervenções não farmacêuticas podem ser potencialmente eficazes para combater epidemias de influenza, mas são necessárias intervenções combinadas. Estudos experimentais relataram que o chá e seus ingredientes (especialmente catequinas) têm atividades antivirais. Fonte PMID: 27175786

         Fazer gargarejos com chá e seus ingredientes pode ter um efeito preventivo para a infecção por influenza. Efeito do gargarejo com chá e ingredientes do chá na prevenção da infecção por influenza: uma meta-análise. Estudos experimentais relataram que o chá e seus ingredientes (especialmente catequinas) têm atividades antivirais.  Os participantes que fizeram gargarejo com chá ou seus ingredientes mostraram um risco menor de infecção por influenza do que os participantes que gargarejaram com placebo / água ou que não gargarejaram. PMCID: PMC4866433.

         Gargarejo com extratos de catequina de chá para a prevenção da infecção por influenza em idosos residentes em lares de idosos: um estudo clínico prospectivo. Este estudo prospectivo demonstrando o efeito do gargarejo de catequina na prevenção da infecção por influenza em idosos é o primeiro relatado na literatura. A incidência de infecção por influenza foi significativamente menor no grupo catequina (1,3%, um residente) do que no grupo controle (10%, cinco residentes) Hiroshi Yamada  1 Norikata Takuma Takashi Daimon Yukihiko Hara Afiliações PMID: 16970537 DOI: 10.1089 / acm.2006.12.669

         Eles estudaram o chá verde que mostrou efeito, imagina se avaliassem o cravo-da-india que já conta com estudos mostrando sua eficácia em várias bactérias e vírus. Veja mais sobre ação antiviral e antibacteriana do polivalente do Eugenol e mais evidências e opções de receitas do Cravo em cravo-da-india

           O gargarejo e o enxágue bucal com  chá de cravo-da-india pode reduzir os vírus e as bactérias. Esta análise sugere que o gargarejo e o enxágue bucal com chá  pode ser uma medida preventiva adicional para uso com outras medidas farmacêuticas e não farmacêuticas. No mais, leve em consideração, acaso seja infectada pelo vírus.

         É possível evitar a absorção de uma bactéria pela narina e pela boca e bloquear a fixação e a sua internalização por meio de enxágue bucal, gargarejos e inalação?

        Não há muitos estudos para confirmar essa ação. Mas, as medidas antissépticas podem contribuir e muito como medidas auxiliares ao uso de mascaras, álcool gel e distanciamento para evitar que bactérias adentrem a boca e narinas. Acredita-se que a cavidade oral, uma parte essencial do trato respiratório superior, desempenhe um papel importante na patogenicidade e na transmissão da SARS-CoV-2.

         A identificação de bochechos antivirais direcionados para reduzir a carga viral salivar contribuiria para reduzir essa pandemia viral. Os bochechos podem reduzir significativamente a infectividade do vírus, sugerindo um benefício potencial para a redução da disseminação. Enquanto aguardamos os resultados de estudos clínicos significativos, que até o momento não existem, a disponibilidade de enxaguatórios bucais com chás de ervas nos leva a buscar entre elas reagentes que tenham propriedades antivirais.

         O Gargarejo e enxágue bucal ( bochecho) com chás de ação antisséptica são cuidados de higiene. Evidências de vários estudos confirmaram que o enxágue bucal / gargarejo com algumas substâncias por 30 segundos pode reduzir a infectividade de bactérias e vírus podendo até interromper a fixação nos tecidos oral e nasofaríngeo e diminuir as partículas virais na saliva e nas gotículas respiratórias. Assim, o uso de enxaguatório como medidas profiláticas tem sido defendido em todo o mundo para reduzir a transmissão da doença.

           Vírus e bactérias se espalham por meio de gotículas respiratórias e saliva. Portanto, é importante controlar a carga viral na saliva e nas secreções respiratórias. Uma das medidas mais simples que podem ser adotadas pelo público e pelos profissionais de saúde para prevenir a contaminação cruzada e a transmissão é a implementação de uma higiene bucal e da garganta eficaz. Uma vez que reduzir a quantidade de vírus na saliva é considerada uma prevenção de infecção mais ampla e os enxaguatórios bucais são soluções amplamente utilizadas devido à sua capacidade de reduzir o número de microrganismos na cavidade oral. Assim, este conteúdo destaca a justificativa para o uso de  gargarejo / enxaguatório bucal como um método eficaz para diminuir as cargas virais durante os tempos de pandemia.

        Uma redução na carga viral oral pode estar associada a uma diminuição na gravidade da doença. Da mesma forma, uma diminuição da carga viral oral diminuiria a quantidade de vírus expelido e reduziria o risco de transmissão, uma vez que durante os primeiros 10 dias, o vírus se acumula principalmente na área nasal, oral e faríngea. Pesquisas clínicas e pré-clínicas bem planejadas deveriam ser conduzidas para apoiar essas hipóteses.

Imagine que tudo o que sua mão toca, pode potencialmente transportar vírus, bactérias ou fungos

      A higiene eficaz das mãos minimiza a transmissão de patógenos das mãos contaminadas de um indivíduo infectado por meio do contato direto de pessoa a pessoa ou indiretamente por contaminação ao toque de objeto ou superfícies. Patógenos respiratórios como a gripe também são transmitidos via dispersão aérea de gotículas de saliva quando um indivíduo infectado respira, tosse ou espirra, enquanto vírus sinciciais respiratórios, SARS-CoV e MERS-CoV podem se espalhar por grandes gotículas impulsionadas pelo ar e inoculadas nos olhos, nariz e boca a curta distância. Considerando esses modos de transmissão, a higiene bucal por gargarejo, juntamente com a lavagem das mãos e o uso de máscaras, pode ser benéfica para ajudar a minimizar o risco de infecções respiratórias adquiridas na comunidade e no hospital. Como as secreções respiratórias podem atingir e qualquer bactéria ou vírus se espalham para a superfície, a lavagem frequente das mãos é a melhor maneira de evitá-la. Lave as mãos frequentemente e incentive seus filhos a fazer o mesmo. Também se aplicam outras precauções de bom senso, como cobrir a boca e o nariz quando tossir, não compartilhar copos ou utensílios de cozinha e evitar contato próximo com quem está doente.

     Considera-se que o gargarejo também produz efeitos favoráveis ​​através da remoção da protease oral/faríngea que ajuda na replicação bacteriana.

Devemos nos lembrar regularmente que a falta de provas científicas não constitui evidência de que algo não seja eficaz.

Um estudo de enxaguatório bucal testou remédios à base de plantas contendo Cravo e Manjericão por 21 dias, mostrando melhora na saúde das gengivas, bem como diminuição da placa bacteriana e bactérias bucais.

      O Cravo-da-índia contém altos níveis de fitossubstâncias antibacteriana e antimicrobiana, impedindo a propagação de várias infecções humanas. Os estudos com tubos de ensaio também demonstraram a capacidade  do Cravo-da-índia em combater bactérias comuns, incluindo a cepa Escherichia coli (E. coli). As propriedades antibacterianas do Cravo-da-índia se estendem a outros tipos de bactérias, incluindo as cepas resistentes aos antibióticos. Essas cepas incluíram Staphylococcus aureus e Pseudômonas aeruginosa (causa pneumonia).

      Um estudo realizado na Universidade de Buenos Aires testou Cravo-da-índia contra bactérias graves, como E. coli e estafilococo. A pesquisa mostrou que o Cravo foi eficaz na eliminação dessas bactérias. Existe até uma receita para um colutório à base de plantas feito com Cravo e Manjericão. De acordo com o Departamento de Periodontia da Universidade KU Leuven, na Bélgica, esse enxaguatório bucal natural pode melhorar a saúde das gengivas e reduzir a quantidade de bactérias e placas na boca depois de usá-lo por apenas 21 dias. Estudos demonstraram que o Eugenol do Cravo funciona como um poderoso agente anti-inflamatório.

O Cravo-da-índia contém o potente Eugenol.

      Enxaguatório bucal. O Cravo-da-índia não apenas alivia a respiração, mas também oferece benefícios anti-inflamatórios e antibacterianos.

      Bochechos com chá de Cravo ou pode colocar o chá em um frasco spray para esguichar na boca várias vezes ao dia.

O Eugenol para combater patógenos de difícil controle? O Eugenol provou ser eficaz contra muitas bactérias, segundo estudos.

          Sprays oral e ou bochechos e gargarejos com propriedades antivirais sugere que uma série de antissépticos deveriam ser estudados em ensaios clínicos para mitigar a progressão e a transmissão da SARS-CoV-2.

Veja mais sobre o potencial do Eugenol em cravo-da-india

     Será que  Gargarejo e bochecho de chás de ervas medicinais podem ajudar? 

Especificamente, para o Clovid19 não há trabalhos científicos mostrando que possa se profilático ou possa combatê-lo.

    É possível evitar a absorção de uma bactéria pela narina e pela boca e bloquear a fixação e a sua internalização por meio de gargarejos e enxágue bucal? Não há estudos para confirmar essa açãoMas como medidas antissépticas com gargarejo e bochecho podem contribuir e muito como medidas auxiliares ao uso de mascaras, álcool gel e distanciamento para evitar que bactérias adentrem a boca e narinas.

Devemos nos lembrar regularmente que a falta de provas científicas não constitui evidência de que algo não seja eficaz.

    E, claro, há resistência da medicina que alega falta de fundamentação científica (embora faça uso de remédios e procedimentos sem maiores comprovações), com a valorização absoluta da objetividade científica e imposição do saber canônico.  Sinto que essa adesão teimosa aos estudos científicos, às vezes, "incoerentes", está dificultando a aceitação de outros tratamentos.

 Meu objetivo ao escrever este tópico é apontar outros recursos que podem ser usados concomitantemente para ajudar. 

    Os chás podem ser utilizados como um recurso coadjuvante as medidas de prevenção. Os chás podem ser utilizados, apenas, como um recurso auxiliar de higiene juntos com as medidas de prevenção como a lavagem das mãos, o uso de máscaras e o distanciamento social. Especificamente, para o Clovid19, há poucos estudos em andamento mostrando ervas que possam combatê-lo.

Contato